A Camada de Ozono à Lupa


Podemos ouvir falar muito dela e, sobretudo, de como estamos a destruila aos poucos, mas o que é a camada de ozono?

A camada de ozono é, basicamente, a rede de segurança do planeta Terra. Localizada cerca de 50 km acima da superfície terrestre, é composta por 03 (ozono) e tem até 20 km de espessura. Noventa por cento deste gás protector, crucial à vida na Terra, encontra-se na estratosfera do planeta.

O ozono age como um escudo contra a radiação ultravioleta, ou UVB. Estas emissões prejudiciais são enviadas através dos raios solares e, sem o ozono, afectariam gravemente o equilíbrio ecológico do planeta, comprometendo a biodiversidade. Os raios UVB baixariam os níveis de plâncton no oceano, reduzindo as provisões de peixe. O crescimento vegetal também diminuiria, afectando a produtividade agrícola. A população humana seria afectada e exposta a um aumento de doenças dermatológicas, como o cancro da pele.

Mas como é que o ozono nos protege?

As moléculas de ozono consistem em três átomos de oxigénio – daí a fórmula química 03. O ozono estratosférico absorve radiação UVB, além de electrões energétícos, o que resulta na divisão do 03 num átomo O e uma molécula 02.

Quando o átomo O encontra outra molécula 02, fundem-se e recriam o 03. Isto significa que a camada de ozono absorve os UVB sem se consumir.

A camada de ozono absorve até 99 por cento da radiação UV de alta frequência, transformando-a em calor após a sua reacção atómica combustível, criando assim a própria estratosfera – e incubando a vida na Terra. Mas o ozono não existe só a tal altitude. Encontra-se também na camada em redor da superfície da Terra: dez a 18 km acima de nós, recebe o nome de ozono troposférico, ou “ozono mau”, por oposição à função da estratosfera.

Este ozono ocorre em circunstâncias naturais, em pequenas quantidades, iniciando um processo de remoção de hidrocarbonetos do ar, libertados por plantas e pelo solo, ou quando se verificam transferências ocasionais de ozono da estratosfera, em altitude, para a baixa troposfera, junto à superfície terrestre.

No entanto, a sua má reputação deve-se sobretudo à sua interacção com a radiação ultravioleta, e com compostos orgânicos voláteis e óxidos de azoto, resultantes da utilização de combustíveis fósseis, nomeadamente em centrais eléctricas e transportes rodoviários. Na ocorrência de temperaturas do ar elevadas, este processo gera altas quantidades de ozono, que podem ter um efeito tóxico sobre todas as formas de vida orgânica.

Buraco do Ozono

Qual é o tamanho do buraco na camada de ozono?

O buraco do ozono refere-se a uma área de diminuição da camada de ozono estratosférico sobre a Antártida. O ozono do planeta regista um declínio de 4% por década em volume total, mas perdas bem mais significativas registam-se no ozono estratosférico, sobre a região polar, ainda que esta seja uma situação sazonal.

As condições atmosféricas singulares desta zona propiciam o maior impacto: ventos fortes sopram em volta do continente, formando um vórtice polar e isolando o ar sobre a Antártida do resto do mundo. Isto permite que as nuvens estratosféricas polares, que concentram poluentes atmosféricos, se formem a cerca de 24 km de altitude. Com a Primavera, após um período
sem sol, o ozono sofre uma diminuição, originando-se o “buraco do ozono”, Em Setembro de 2006, a área do buraco atingiu 29, 46 milhões de km2, segundo a NASA; em 2009 era de 24 milhões de km2.